Transmissor

Um sexteto lá de Belo Horizonte dando as caras por aqui.

Sem título

Tendo como influência nomes da música popular brasileira como Milton Nascimento e Vander Lee, e obtendo a pegada rock de Los Hermanos, Beatles, e outros, Transmissor nasceu em 2006, permanecendo até os dias atuais em plena atividade.

Dois dos integrantes, Leonardo Marques e Thiago Corrêa residiam em Los Angeles já se apresentando em locais sob o nome Transmissor. Ao voltar para Minas Gerais, puderam reencontrar alguns amigos da infância e formar o atual grupo.

O disco de estréia: ”Sociedade do Crivo Mútuo” – foto acima – divulgado no mesmo ano, obteve boas críticas e um reconhecimento considerável, contando com a participação do guitarrista da banda pop Maroon 5 em uma de suas faixas.

Em 2011, o segundo álbum: ”Nacional”, foi lançado, apresentando uma regravação da canção Nada Será Como Antes do mestre Bituca.

O último e atual disco veio a ser promovido no ano de 2014: ”De Lá Não Ando Só”, com doze faixas.

Ouça abaixo uma das faixas de boa repercussão do disco de estréia!

Não deixe de acessar o som do cláudio de Transmissor para escutar todos os três álbuns. 🙂

sem-titulo

Adeus, Móveis!

1627067

Já faz um tempo que a banda declarou recesso por tempo indeterminado, porém faltou o adeus do Cafofo, certo?!

Móveis Coloniais de Acaju, foi uma banda originada em 1998, lá em Brasília, que mistura sub-gêneros do rock. Foi em 2005, quando lançaram seu primeiro disco chamado ”Idem”, contendo doze faixas. Nos anos subsequentes vieram diversos outros álbuns de estúdio, alguns EPs e vários singles.

O grupo era composto pelos integrantes André Gonzales (vocal); Eduardo Borém (gaita, teclados e escaleta); Esdras Nogueira (saxofone barítono); Beto Mejía (flauta transversal); Fabio Pedroza (baixo); Anderson Nigro (bateria); Paulo Rogério (sax tenor); Fernando Jatobá (guitarra) e Fabrício Ofuji (produção). Outros músicos também tiveram passagens pela banda.

Móveis venceu o prêmio Multishow em 2010 na categoria ”Experimente” – programa do canal onde são apresentados grupos musicais por Beto Lee. O nome da banda se originou através de um acontecimento histórico entre índios, portugueses e ingleses lá na Ilha do Bananal, (tempos depois descoberto sendo totalmente fictício. A suposta Revolta de Acaju não passava de uma brincadeira de Leonardo Bursztyn – ex integrante).

A banda também possuía seu próprio festival intitulado de ”Móveis Convida”. O festival autônomo durou entre 2005 a 2009.

Entre suas apresentações, esteve próximo de bandas americanas como Simply Red, Weezer, Live, e brasileiras assim como Pato Fu, Los Hermanos, Ira!, Dead Fish, etc.

Após o anúncio de que a banda cessaria seus trabalhos, foram realizados alguns shows de despedida e ‘até breve’s’ pelo país.

– Será que podemos esperar um retorno? –

Conheça mais sobre Móveis aqui no last.fm. E aproveitando o precoce clima de Dia dos Namorados, ouça uma canção bastante prestigiada dos rapazes a favor da celebração, ao lado do cantor Leoni, abaixo.

sem-titulo

Anitelli

Não tenho dúvidas de que todos conheçam ou ao menos já ouviram falar do grupo O Teatro Mágico. Mas e a carreira solo de Fernando Anitelli? É tão mágica quanto.

tumblr_mkuvgbz8VI1ql734to1_500

 Além de compositor, ator e multi-instrumentista, Fernando Eduardo Silva Anitelli criou o projeto/banda ”O Teatro Mágico” que mescla música, poesia e arte circense. O artista que chega aos 43 anos no próximo sábado (20), tem sua própria carreira solo intitulada ”As Claves da Gaveta”, com apenas voz e violão.

Foi em São Paulo, onde nasceu, que teve a música como acompanhante desde a pré-adolescência, criando a banda Madalena aos 19. Anitelli posteriormente trabalhou com diretores como Caio Andrade, Ismael Araújo e o músico Oswaldo Montenegro, a fim de se aprimorar nas artimanhas de apresentação de palco e adereços relacionados ao teatro.

Em 2011, seu álbum solo veio a se concretizar, durante um recesso do trabalho na trupe. O disco ”As Claves da Gaveta” foi lançado no dia 15 de março, já completando seis anos de lançamento. Como apoiador da distribuição livre de conteúdo o álbum possui a licença Creative Commons – uma organização governamental sem fins lucrativos -, permitindo o acesso e download pela internet.

Infelizmente, esse foi o único lançado até os dias atuais… Se estamos esperando um novo? Mas é claro que sim! Enquanto seguimos na espera, faça o download do disco e ouça ”Soprano” a seguir.

Não deixe de visitar a lojinha dO Teatro Mágico também, há uma grande variedade de camisetas personalizadas por lá. 😉

Ouça a versão desta canção com Marcelo Jeneci em Allehop neste link: ”Soprano”.

sem-titulo

De Pop Rock?

Este é Trent Dabbs, passando charmosamente diante de seus olhos na companhia de um violão. E a pergunta displicente é a seguinte: ainda existe qualidade no ramo suave do pop rock?

TEMP-Image_1_1

Nascido em Mississipi, mudou-se para Nashville para aprofundar em sua extensiva carreira. Iniciou-a em 1999, contabilizando até os dias atuais nada mais, nada menos que quinze álbuns de estúdio. Trent é co-fundador do musical ”Ten Out of Tenn”, presente desde 2005, ao lado de sua esposa Kristen Dabbs.

O músico norte-americano possui várias de suas canções como parte de trilhas sonoras de seriados como Bones, Ghost Whisperer, The Arrow, Drop Dead Diva, The OC, One Tree Hill, NCIS, Greys Antomy e mais milhares deles.

O que acham de irem logo conferir a discografia de Dabbs? Sigam-no por aqui até o last.fm. E aqui vão duas sugestões entre as preferidas do Cafofo: ”Off We Go” e ”Inside These Lines”. Aproveitem!

sem-titulo