4h de Música

Um assunto muito recorrente nos últimos tempos é a famigerada “crise de ansiedade”.

tumblr_mklndeszc21qmopmso1_500.gif

Como acontece? Por que? Como curá-la? A resposta para essas perguntas, com certeza você já deve ter visto em várias matérias distintas, mas o que o Cafofo pretende compartilhar é uma playlist fornecida pelo DJ Moby, publicada pela Revista Bula – assine a newsletter em seu e-mail -, a fim de que você possa ouvir quatro horas seguidas de músicas e assim relaxar.

Segundo Moby, esta foi a maneira que ele encontrou para ajudar em sua insônia que o acompanha desde os quatro anos de idade.

O álbum batizado de ”long ambients1: calm. sleep” pode ser aliado também a meditação e yoga, obviamente a critério do ouvinte.

Ouça a playlist através do Spotify, ou simplesmente faça o download agora mesmo. É completamente gratuito!

sem-titulo

Abalo no Grunge

O Cafofo não poderia deixar de prestar uma singela homenagem a Christopher John Boyle.

Chris-Cornell.jpg

Um abalo sísmico, inesperado e assolador, alcançou a noite de quarta-feira, (17), de maio deste ano. Deixando uma esfera sem contenção no grunge, chegou a hora de darmos adeus a Chris Cornell.

Adeus? Jamais! Seu corpo pode estar sem vida, irreparável, mas suas canções continuarão a abrilhantar o mundo. Sempre e para sempre!

Cornell ingressou no mundo da música tocando piano na infância, posteriormente e profissionalmente, como baterista em uma banda chamada Jones Street Band. Em meados de 1984, formou o famoso Soundgarden, aliada a Alice in Chains, Nirvana e Pearl Jam, complementando o movimento grunge, abandonando a bateria e se dedicando somente ao vocal.

Anos após, com a morte de um de seus amigos próximos, através de uma homenagem com músicas próprias, forma-se o Temple Of The Dog, juntamente com o ícone Eddie Vedder. Andrew Wood – o homenageado – e todos nós agradecemos!

Foi em 1991, que Soundgarden alcançou fama mundial graças ao reconhecimento cada vez mais crescente do cenário grunge.

Em 1999, Cornell lança um álbum solo: ”Euphoria Morning”, valendo uma indicação ao Grammy Awars. Só então em 2011, é que surge Audioslave, seu terceiro projeto musical, aliado aos ex-integrantes do Rage Agains The Machine.

Audioslave definitivamente entrou para a história, sendo seu grupo de maior sucesso na indústria musical. Várias de suas faixas, fizeram parte de trilha sonora de seriados e filmes, como Castle, OTH, entre outros.

Já nesta quarta-feira, o músico nos deixa após uma apresentação com a banda Soundgarden, de forma indócil. Segundo os laudos periciais, Chris se enforcou no banheiro do hotel em que estava hospedado, abrupto e inesperadamente.

O artista já possuiu problemas com entorpecentes e álcool, porém alegava sobriedade desde 2003, após se instalar em uma clínica de reabilitação. Não sabemos a veracidade das histórias, mas Cornell também já apresentou quadro de depressão e agorafobia – semelhante a síndrome do pânico, transtorno associado a multidões, lugares abertos e situações que possam causar constrangimentos.

Vários outros artistas do cenário grunge, se foram da mesma forma, optando pelo suicídio. O que nos faz questionar: será que o gênero conduz a melancolia profunda, ou tudo não passa de uma mera coincidência?

Conheça a discografia de Chris Cornell, solo e separadamente com seus projetos, e ouça abaixo uma de suas belas canções do álbum solo de 2009.

”1964_2017”

It’s not forever. So breathe. Tomorrow is a new day”.

sem-titulo

Podcast com Isakov

Gregory Alan Isakov é um músico africano, nascido em Joanesburgo. Suas canções vão do folk contemporâneo ao indie, do violão ao bandolim.

Picture 1.png

 Como resultado de suas recorrentes viagens, Isakov colocou em suas composições experiências vividas nos mais diversos lugares, externizando seus sentimentos e emoções, frisando sua constante busca por um lugar. Depois de emigrar para os Estados Unidos, morou em Filadélfia, onde participava de turnês aos 16 anos, com uma banda, depois firmou endereço em Colorado.

Sob influência musical de Iron & WineBruce Springsteen, Kelly Joe Phelps e Leonard Cohen aliada as suas viagens, foi que construiu sua carreira. Não se sabe com exatidão o momento em que o artista iniciou no ramo musical profissionalmente, mas é vero que a música sempre esteve consigo.

Gregory lançou seis álbuns de estúdio. Seu úlimo, de 2016, ”Gregory Alan Isakov with the Colorado Symphony”, permitiu uma turnê pelo país em conjunto com tal sinfonia.

Tanto os álbuns de 2009: ”This Empty Northern Hemisphere”, assim como o de 2013: ”The Weatherman”, possui canções notórias entre a mídia. Permitindo destaque entre filmes, curta-metragens, seriados e comerciais de TV e possibilitando premiações.

Além da música, o músico também dedica-se a horticultura, fruto de um aprendizado no Colorado.

Sem mais ressalvas, descubra o som de Gregory ouvindo uma perfeita canção de seu último álbum, abaixo. É simplesmente tudo que uma quarta-feira chuvosa precisa!

sem-titulo

Anitelli

Não tenho dúvidas de que todos conheçam ou ao menos já ouviram falar do grupo O Teatro Mágico. Mas e a carreira solo de Fernando Anitelli? É tão mágica quanto.

tumblr_mkuvgbz8VI1ql734to1_500

 Além de compositor, ator e multi-instrumentista, Fernando Eduardo Silva Anitelli criou o projeto/banda ”O Teatro Mágico” que mescla música, poesia e arte circense. O artista que chega aos 43 anos no próximo sábado (20), tem sua própria carreira solo intitulada ”As Claves da Gaveta”, com apenas voz e violão.

Foi em São Paulo, onde nasceu, que teve a música como acompanhante desde a pré-adolescência, criando a banda Madalena aos 19. Anitelli posteriormente trabalhou com diretores como Caio Andrade, Ismael Araújo e o músico Oswaldo Montenegro, a fim de se aprimorar nas artimanhas de apresentação de palco e adereços relacionados ao teatro.

Em 2011, seu álbum solo veio a se concretizar, durante um recesso do trabalho na trupe. O disco ”As Claves da Gaveta” foi lançado no dia 15 de março, já completando seis anos de lançamento. Como apoiador da distribuição livre de conteúdo o álbum possui a licença Creative Commons – uma organização governamental sem fins lucrativos -, permitindo o acesso e download pela internet.

Infelizmente, esse foi o único lançado até os dias atuais… Se estamos esperando um novo? Mas é claro que sim! Enquanto seguimos na espera, faça o download do disco e ouça ”Soprano” a seguir.

Não deixe de visitar a lojinha dO Teatro Mágico também, há uma grande variedade de camisetas personalizadas por lá. 😉

Ouça a versão desta canção com Marcelo Jeneci em Allehop neste link: ”Soprano”.

sem-titulo

Friday’s Album

Clube-da-Esquina-1972-capa

É Clube da Esquina, minha gente! Álbum integrado a lista dos 100 maiores discos de MPB da história, divulgada pela revista Rolling Stone.

Faixas da junção entre Milton Nascimento e Lô Borges, lançado em 1972. Tanto a capa como as canções, retratam o que há de mais mesuro e afável no viver.

Faça já o download, ou apenas ouça!

Happy friday!

sem-titulo

The Format

tumblr_inline_ndjr9zznmY1rhhpu1

Formada por Sam Means e Nate Ruess, a banda de indie rock finalizou seus trabalhos com apenas seis anos de carreira.

Originada em 2002 pelos dois velhos amigos, a banda alcançou fama substancial em Phoenix, Arizona, através das rádios, internet, da troca de informações entre amigos e suas dedicadas turnês.

Logo no início trocaram de gravadoras, da Elektra Records para Atlantic Records, sem devaneios. Lançaram cinco EP’s e apenas dois álbuns de estúdio, sendo o seu último o mais famoso e premiado: ”Dog Problems”, de 2006.

Os rapazes se uniram e fizeram parcerias com algumas bandas como The Honorary Title, Steel Train, Limbeck, Reuben’s Accomplice e All American Rejects, durante suas turnês e viagens, e sempre tiveram consigo uma equipe de músicos de apoio.

Ouça ”On Your Porch’‘ abaixo, canção-calmante conhecida bastante por acaso, entre uma passeada e outra nos blogs da vida.

sem-titulo

Léo Fressato

”Não gostaria de entrar para tomar uma xícara de café?”

É por conta da casa, ou melhor, do Cafofo!

leofressato3-324217.jpg

Influenciado por Cazuza, Arcade Fire, Clube da Esquina, Angela Rô Rô, Oswaldo Montenegro, entre outros artistas enraizados, Fressato faz parte da nova geração MPB e do pop lírico, iniciando suas composições exatamente aos dez anos de idade.

Como sugere o site oficial do músico, suas canções são ”…um tratado sobre o amor. Entre folhas de outono e invernos rigorosos brotam flores nas canções do rapaz.”. Eu concordo plenamente!

Léo faz parceria com a curitibana Ana Larousse, sua companheira, em grande parte de suas apresentações.

Eis uma oportunidade se aproximando: o artista estará se apresentando em São Paulo, no dia 20 de maio, no bar Vermont Itaim. (Saiba mais sobre o evento!). E ouça abaixo, uma canção bastante propícia para esta manhã de quarta-feira. 🙂

Caso lhe interesse, ouça o disco completo de Léo logo aqui no somdocláudio.

sem-titulo

The Honorary Title

~ 2002 : 2009 ~

41GEnkj0f6L

Tal banda vinda de Brooklyn, New York, fazia parte do ramo indie rock dos EUA. O EP de estréia ao público, foi divulgado em 2003, dando seguimento ao primeiro álbum de estúdio em 2004. The Honorary Title, como diversas outras bandas, partilhava da técnica de relançar músicas em outros discos com versões diferentes, dando certa ênfase relativa.

Passaram pela banda os integrantes Aaron Kamstra, Jon Wiley, Mike Schey, Adam Boy – ex-integrante da banda The Format – entre outros, com a devida permanência de Jarrod Gorbel, o líder vocal.

Após vários EPs, álbuns e compilações, a banda veio ao término em 2009, deixando Gorbel livre para se promover em sua carreira solo.

Ouça aqui ”Far More”, faixa do álbum de 2007 – foto acima -, e confira um pouco mais sobre a biografia dos indies norte-americanos a seguir: Bio.

sem-titulo

De Pop Rock?

Este é Trent Dabbs, passando charmosamente diante de seus olhos na companhia de um violão. E a pergunta displicente é a seguinte: ainda existe qualidade no ramo suave do pop rock?

TEMP-Image_1_1

Nascido em Mississipi, mudou-se para Nashville para aprofundar em sua extensiva carreira. Iniciou-a em 1999, contabilizando até os dias atuais nada mais, nada menos que quinze álbuns de estúdio. Trent é co-fundador do musical ”Ten Out of Tenn”, presente desde 2005, ao lado de sua esposa Kristen Dabbs.

O músico norte-americano possui várias de suas canções como parte de trilhas sonoras de seriados como Bones, Ghost Whisperer, The Arrow, Drop Dead Diva, The OC, One Tree Hill, NCIS, Greys Antomy e mais milhares deles.

O que acham de irem logo conferir a discografia de Dabbs? Sigam-no por aqui até o last.fm. E aqui vão duas sugestões entre as preferidas do Cafofo: ”Off We Go” e ”Inside These Lines”. Aproveitem!

sem-titulo

A MPB de Kiari

Quem logo no início de abril já deu uma passadinha aqui no Cine Theatro Vallourec em Minas Gerais?

15050660524_56a83d701b_b

Luis Kiari, natural de Paraíba. Músico nato, faz parte da nova geração MPB de que o Cafofo eventualmente comenta em suas postagens. Envolvido em música desde muito criança, o cantor constitui sua carreira rumo ao sucesso. Quando adquiriu maior idade se adentrou ao Rio de Janeiro e ficou por lá.

Ao conhecer os amigos que vieram mais tarde a serem parceiros, criou-se o projeto ”Os Varandistas”, tendo como palco a varanda do apartamento do músico nordestino. Entre suas principais parcerias estão Caio Sóh, Fred Somer, Gugu Peixoto, Taís Alvarenga e Maria Gadú.

Uma de suas composições com Peixoto, cantada com a parceria de Gadú, entrou para a trilha sonora da novela ”Cama de Gato” da Rede Globo, sendo bem aceita e uma porta de entrada para o triunfo de seu disco de estréia.

Foi através do canal Gasolina CC, em uma sequência de vídeos intitulados ”PROJETOR” é que conheci Kiari, enquanto interpretava uma linda música ao lado de Taís Alvarenga. Confira abaixo!

Não deixem de ouvir o restante da playlist, repleta de canções para aquietar a alma.

sem-titulo

Stereophonics

Um brinde a estes rapazes britânicos, e a sua própria cerveja!

Stereophics-brewing-their-limited_-edition-beer-with-Brains-Brewery.jpg

Presente desde 1992, originada no País de Gales, berço da banda de rock alternativo.

Tendo parte de seus lançamentos incluído no top 10 da UK Albums Chart, a banda também já foi premiada como ”Banda Revelação” com um Brit Award.

Incluída no cenário britpop, os integrantes atuais são Richard e Kelly Jones, Adam Zindani e Jamie Morrison.

Em forte ascensão, Stereophonics já contabiliza nove álbuns de estúdio, mais sete DVD’s, entre coletâneas e álbuns ao vivo. Seu último álbum, lançado em 2015: ”Keep the Village Alive”, com versão deluxe, está disponível no iTunes e Amazon, e algumas faixas com videoclipes em seu canal do youtube.

Não deixe de conhecê-la e fortuitamente incluí-la em seu podcast!

(Saiba mais sobre a cerveja dos rockers aqui no site da Rockbreja.)

sem-titulo

Friends with Benefit

feab9b94574cb2a544fd145956da7dfe

Post dedicado ao segundo álbum da série One Tree Hill.

Criado e desenvolvido pela personagem Peyton Sawyer, em busca de levantamento de fundos em prol da luta contra o câncer de mama, doença adquirida por sua mãe biológica, Ellie. Na trama, Peyton reuniu quinze artistas para tocar no Tric – bar fictício -, onde a campanha foi manifestada.

Como não seria de se surpreender, todas as músicas são ótimas e bem engajadas. Segue listagem abaixo:

  1. Feeder : Feeling a Moment
  2. Jack’s Mannequin : The Mixed Tape
  3. Audioslave : Be Yourself
  4. Nada Surf : Always Love
  5. Gavin DeGraw : Jealous Guy
  6. Citizen Cope : Son’s Gonna Rise
  7. Hot Hot Heat : Middle of Nowhere
  8. Tyler Hilton (Chris Keller): Missing You
  9. MoZella : Light Years Away
  10. Shout Out Louds : Please Please Please
  11. Fall Out Boy : I’ve Got a Dark Alley and a Bad Idea That Says You Should Shut Your Mouth (Summer Song)
  12. Jimmy Eat World : 23
  13. Bethany Joy Galeotti (Haley James Scott): Halo
  14. Michelle Featherstone : Coffee & Cigarettes
  15. Strays Don’t Sleep : For Blue Skies

O álbum foi lançado pela gravadora Maverick, em 2006. OTH se encontrava em sua terceira temporada.

Vamos nessa dar play neste álbum estrondoso? Friends with Benefit Vol.2!

A quem possa interessar, o Cafofo tem um post sobre todas as canções de OTH logo aqui: As Canções de One Tree Hill. 😉

sem-titulo

Cope

Seja muito bem-vindo Clarence Greenwood!

Mais conhecido por seu pseudônimo, Citizen Cope, Clarence faz parte da massa do rock alternativo desde 1991.

Comparado até ao digníssimo Marvin Gaye, por sua mescla de estilos musicais em suas melodias, Cope também tem como fãs importantes, Ellen DeGeneres, a loira minimalista que rebate a programação noturna americana com seu talk show.

O artista gravou seis álbuns até o presente momento, e seguimos aguardando novas canções por aí. (Vamos logo com isso Clarence!)

Ouça ”Son’s Gonna Rise” de seu terceiro álbum abaixo e aproveite para locomover os móveis de perto antes que o solo da guitarra se expresse. 🙂

sem-titulo

Invente-se

Manhã de terça-feira. Frio. Café, talvez chá. Bolacha ou biscoito. Trabalho. Rotina. Música! Hoje é só mais um dia-chance para que você se reinvente. Ela pode ser sua aliada.

a-musica-ideal-para-cada-signo-do-zodiaco.jpg

Iniciando sua trilha com uma canção da série atual recorrente, ”13 Reasons Why”…

– Terça-feira da Invenção –

Um mix de canções multi-gêneros.

  1. Vance Joy – Mess Is Mine
  2. Ed Sheeran – Don’t
  3. Alex and Sierra – Scarecrow
  4. Paloma Faith – Only Love Can Hurt Like This
  5. The 1975 – Robbers
  6. Coldplay – Trouble
  7. City and Colour – Wasted Love
  8. Adele – Hometown Glory
  9. Jason Walker – Midnight Starlight
  10. Cary Brothers – Ride

sem-titulo

Elliott Smith

Conheça Steven Paul Smith, o cantor de memórias turbulentas que nos deixou aos 34 anos.

es6

Podemos definir o seu som como indefinível. Isto mesmo. Indefinível! As melodias de Elliott notoriamente nascidas em meio ao Lo-fi, vão do indie rock ao indie folk. O músico compunha  com frequência aliado ao violão, seu principal instrumento. Mas também tocava vários outros.

Depois de sair de Omaha/Nebraska, Smith firmou endereço em Portland/Oregon com seu pai, onde criou sua fama.

Iniciou sua carreira solo em 1994, tendo o prazer de ver uma de suas canções ser batizada como single somente em 1997, “Miss Misery”.

Elliott lançou cinco álbuns, e trabalhava em seu sexto quando teve sua carreira interrompida em consequência de um – atualmente ainda inconclusivo – possível suicídio cometido em outubro de 2003. Duas facadas no peito foi o que lhe tirou a vida. O álbum “From A Basement On the Hill” foi lançado postumamente logo no ano seguinte.

Smith tivera um emocional difícil, marcado por devaneios ou duras realidades. Quem é que sabe?. Leia mais sobre a biografia do cantor logo aqui em Mondo Bacana. E confira por si próprio a beleza e simplicidade de suas canções, com Angeles abaixo.

sem-titulo